Champanhes e Espumantes

A sua origem:

“Champagne” é o nome de uma região francesa localizada a 150 quilómetros de Paris, que se prolonga por cerca de 320 aldeias, conhecidas como crus.

São ao redor de 275.000 parcelas individuais de vinhas, cada uma com o seu perfil.

Existem cerca de 300 casas produtoras em França.
E entre as mais conhecidas encontramos: o DOM PÉRIGNON, o MOËT CHANDON e o VEUVE CLICQUOT.

Mas existem outras marcas, que se encontram igualmente entre os melhores “Champagnes” Franceses.

A seguir a “Bonjour”, Champanhe é a segunda palavra mais conhecida da língua francesa, no mundo inteiro.

A sua fama deve-se não somente ao seu passado real, mas também ao seu carácter festivo e alegre, sempre ligado a comemorações, celebrações e conquistas.

Champanhe é o produto de luxo francês mais conhecido e consumido internacionalmente.

Champanhe

A sua história:

Dom Pérignon é talvez o mais conhecido entre os Champanhes franceses.
Uma homenagem ao monge beneditino do mesmo nome, pioneiro na sua fabricação,

Pérignon foi o primeiro a misturar vários tipos de uvas, a utilizar garrafas espessas e a usar rolha de cortiça amarrada com cordão de cânhamo.

No tempo dos mosteiros, as uvas eram entregues pelos fazendeiros locais como pagamento do seu dízimo.
Depois eram vinificadas colectivamente, independentemente das diferenças de variedades ou local de procedência.

O blend tornou-se uma arte nas mãos de notáveis produtores religiosos, como o monge Dom Pérignon, tesoureiro da Abadia de Hautvilliers em “Champagne”.

Sua especialidade era combinar uvas seleccionadas de diferentes origens para melhorar o equilíbrio do vinho.

Entretanto, muitos anos depois, as Casas de Champanhe copiaram o método:

  • explorando a diversidade de cada território;
  • misturando vinhos de diferentes variedades de uvas e de diferentes safras

Acima de tudo, visando produzir um cuvée superior em qualidade a qualquer um dos outros.

Essa mistura possibilitou a criação de Champanhes harmoniosos e abriu caminho para espumantes com carácter.
De sabor e qualidade, algo inédito numa época em que os produtores estavam à mercê da natureza.

O Champanhe tem uma história que remonta ao alvorecer do cristianismo, porém, suas regras e limites só em 1927 foram definidas. E apenas em 1936 foi reconhecido oficialmente.

Para si, caro cliente, dispomos de todas as marcas acima, mas também espumantes menos conhecidos e de equivalente valia.

Entretanto deixamo-lo com uma sugestão para acompanhar o seu flute de Champagne: experimente uma das delícias da nossa Pastelaria Fina mais desejadas: o Opéra ou ou Paris Brest, ambos bolos quentes, a requerer uma bebida bem fresquinha.

Utilização de Cookies: Este site usa cookies para fornecer serviços. Ao usá-lo, você concorda com o uso de cookies. Pode alterar as suas definições de cookies a qualquer altura. Para saber mais, clique aqui